Como Gerir Operações de Restaurantes Remotamente

Como Gerir Operações de Restaurantes Remotamente

Eu aposto que como gestor de uma rede de restaurantes você não consegue imaginar seu dia a dia sem uma equipe fazendo visitas. Sem dúvidas, essa foi a melhor prática para levar a estratégia para o ponto físico. Até agora.

Em todos os mercados, a estratégia de gestão remota de atividades está se tornando cada vez mais popular. No varejo físico não é diferente. Não só a gestão remota de atividades de loja é possível, como é uma ótima maneira de melhorar a entrega com processos mais ágeis e baratos.

Abaixo estão 4 maneiras de fazer gestão remota de maneira organizada, simples e prática para sua rede de restaurantes:

1. Tarefas digitais

O primeiro passo para qualquer gestão remota é entender que você não precisa estar fisicamente em loja para enviar e controlar as atividades da sua operação. 

O envio de Missões através de uma plataforma de gestão digital de tarefas, ajuda o gestor a garantir que sua equipe tenha no bolso tudo que precisa para performar no dia a dia. A escolha da ferramenta certa é crucial nesse processo.

O importante nessa etapa é garantir que as equipes da sua operação tenham todas as informações necessárias para cumprir com seu trabalho. Desde o lançamento de um novo item no cardápio até um novo procedimento sanitário por conta da pandemia, ter tudo organizado e acessível no bolso da equipe é fundamental.

Em paralelo ao processo de envio, é fundamental que o backoffice consiga enxergar com facilidade quais atividades estão e quais não estão sendo cumpridas na ponta.  Apesar de serem opções ágeis, mensagens no celular e planilhas não oferecem controle de compliance e por isso são opções incompletas.

Dessa forma, uma boa ferramenta para gestão de atividades é um ganha-ganha para backoffice e equipe de frente.

2. Avaliações

Nada substitui o olho no olho para ter a percepção correta do que acontece em uma operação. O momento, porém, pede diversas mudanças de paradigma e a principal está em dar mais autonomia para sua equipe.

Dessa maneira, por que não dar mais e mais abertura para identificar problemas?

Transferir a gestão das avaliações (com a correta supervisão do backoffice) é o passo fundamental para uma cultura saudável de gestão remota.

Quando feito com a ferramenta e processo corretos, a auto gestão dá confiança e melhora o engajamento da sua equipe. Ao perceber que são responsáveis pelas suas atividades e estão sendo medidos por elas, suas equipes se sentirão mais motivados para produzir sendo ativamente responsáveis pelo seu desenvolvimento.

3. Colaboração

A palavra de ouro para gestão remota é engajamento. Talvez seja aqui que muitos processo falham e, mais uma vez, para fazer funcionar o caminho é ter a ferramenta correta.

Uma perspectiva que falta em muitos gestores de restaurantes está no fato que uma marca é formada por muitas áreas e todas elas precisam de alguma forma se comunicar com a ponta. Ter uma ferramenta que consolida e organiza todos esses pontos de contato faz com que nada importante se perca ou não seja compreendido.

A verdade é que não existe engajamento sem as fontes corretas de comunicação. Fazer com que sua equipe se sinta munida de todas as informações pertinentes faz com que aumente o engajamento e a comunicação seja mais aberta. Sua equipe só vai se sentir parte do processo se estiver a par de tudo que está acontecendo (e que for importante, claro!).

4. Auto aprendizado

Até então, ter sua equipe treinada dependia de visitas ao restaurante e treinamentos dentro e fora do horário comercial.

Para um modelo de gestão remota, é cada vez mais importante que o aprendizado da sua equipe não demande uma pessoa em campo.

Para tanto, a responsabilidade do backoffice é de cada vez mais disponibilizar materiais e controlar onde podem estar os pontos de ruptura de conhecimento. Novamente, é fundamental uma ferramenta que permita o envio de conteúdos e o acompanhamento dos resultados em tempo real.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.