Inside the Box | O FIM DO REPRESENTANTE
15860
post-template-default,single,single-post,postid-15860,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,no_animation_on_touch,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-17.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

O FIM DO REPRESENTANTE

Quando começamos a Inside the Box as perguntas que mais ouvíamos eram sobre o futuro desse mercado. A loja multimarcas vai acabar? A tecnologia vai avançar? O representante vai continuar existindo?

Me incomodava que, apesar de ter uma opinião forte sobre os rumos do mercado, eu não sabia o que os outros participantes achavam. Surgiu então a ideia de fazer uma pesquisa com vários participantes do mercado para entender bem o que eles pensavam. A principal dúvida não poderia ser diferente: qual o futuro da representação? Nosso objetivo nunca foi de entender de fato o que vai acontecer – até porque ninguém consegue prever o futuro – mas entender as expectativas das pessoas.

O resultado da pesquisa foi muito interessante e vamos abrir aqui os 4 principais pontos que encontramos e no final um ponto bônus analisado. Confere aí:

1. Os motivos de ter representante

Antes de entender a expectativa sobre o crescimento ou não do número de representantes, perguntamos qual o motivo desse modelo ser adotado pela indústria.

2. O futuro do representante

De todos os entrevistados, apenas um respondeu acreditar no aumento do número de representantes nos próximos anos.

O motivo mais vezes apontado é a substituição por serviços digitais.

3. O futuro do multimarcas

Assim como perguntamos da expectativa dos representantes no futuro, era importante saber o que a indústria espera das lojas multimarcas. O resultado, a grande maioria acredita que as lojas multimarcas vão se manter ou crescer em números absolutos nos próximos anos.

 

4. Ameaças aos lojistas

Apesar de apontar que o mercado multimarcas vai crescer em número de lojas, alguns acreditam na diminuição do número de lojas e apontam o aumento do e-commerce como a maior ameaça.

 

Bônus!

Se você é representante possivelmente não achou esse o texto mais otimista do mundo. Toda a visão pessimista dos quatro primeiros pontos analisados ganha outros ares se for analisada sob a luz da pergunta que deixamos para o final.

Apesar de ser apontada como vilã no processo de manutenção da força de vendas, a digitalização não consegue sanar todas as expectativas do mercado. A expectativa é que principalmente o relacionamento com o lojista não consiga ser substituído.

 

 

A nossa conclusão é que muito dificilmente o representante que conhecemos continue sendo o protagonista no futuro, mas isso não precisa ser uma coisa ruim. A pessoa representante não foi colocada em pauta, somente a sua função. Alguém vai vender, a única dúvida é o como. Quem seguir atendendo nos moldes atuais, possivelmente não vai ter futuro. Os que se adaptarem e conseguirem preencher os espaços vazios hoje, será maior e mais forte no futuro.

O que achou da pesquisa? Possui algum ponto que não foi mencionado aqui? Se quiser saber mais, me manda um email e posso abrir mais os dados. Vamos conversar!

No Comments

Post A Comment