Inside the Box | DADOS E O REPRESENTANTE
15771
post-template-default,single,single-post,postid-15771,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-17.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

DADOS E O REPRESENTANTE

Eu te desafio a ler 3 reportagens sobre negócios e não achar algo falando da importância dos dados para uma empresa. Gerir um negócio no mercado atual passar por ter dados e aprender a entregar melhor para os clientes através da leitura dos mesmos.

Em um escritório de representação não é (ou não deveria ao menos) ser nada diferente disso. Apesar das peculiaridades, gerir um escritório de representação é o mesmo que gerir um negócio comum. Uma coisa rara, entretanto, é encontrar representantes que possuem uma gestão de dados adequada. São dois os erros mais comuns que encontramos na gestão de dados de um escritório de representação: acreditar que possui todas as informações na cabeça e achar que a empresa que ele representa já ter os dados é o suficiente. 

Sim, a empresa que você representa possivelmente vai cuidar do cadastro e possivelmente você sabe gerir direitinho sua carteira de cabeça. O que talvez esteja sendo esquecido é que a carteira de clientes é o ativo mais importante que um escritório possui. Se esse é o seu principal produto você deve cuidar dele respeitando essa importância. Sempre!

No artigo de hoje vamos mostrar 3 dados que o representante deve manter sempre atualizado. Falta de tempo e software não são desculpas para você manter atualizado seu ativo mais precioso. Confere aí!

1. Cadastro do cliente

Como dissemos, você não pode confirmar exclusivamente na gestão de dados da indústria representada. O cadastro dos seus clientes é seu ativo mais importante e deve sempre permanecer atualizado. Seja para ter algo pra mostrar na hora de assumir uma marca ou para fazer vendas de maneira mais organizadas.

Não estamos ainda falando de grandes ações com os dados, mas do simples registro deles. Isso faz com que o cadastro seja algo fácil podendo ser feito numa planilha do Excel ou do Google Spreadsheets (opção mais segura). Abaixo segue uma lista com as 6 informações fundamentais a serem registradas:

  • Nome da loja (fantasia e razão social)
  • CNPJ
  • Endereço (todos os disponíveis)
  • Nome do comprador
  • Nome do dono
  • Tamanho da loja

2. Dados de compras anteriores

Cada venda executada deve gerar um registro. Tal qual no item anterior, esse não precisa necessariamente ser feito em softwares de grande complexidade. Basta registrar como foi a última compra no word ou similar. E sempre bom lembrar, não confie plenamente na sua memória. Tenha sempre algum registro organizado.

Nessa frente elencamos 3 dados importantes:

  • Objeções de vendas: o que fez o cliente não comprar;
  • Valores vendidos e volumes vendidos
  • Ações de marketing alinhadas

3. Perfil do cliente

Talvez a informação mais complexa de se registrar é a do perfil do cliente. Se você quer ter um banco de dados que seja um diferencial para sua marca, entretanto, não deixe de fazer registros qualitativos.

Se possui dúvidas da sua capacidade, saiba que as impressões do representante sobre seu clientes são a melhor fonte de dados no mercado. Abaixo uma lista de itens que podem ser registrados:

  • Marcas no ponto de venda;
  • Localização da loja (tipo de vizinhança);
  • Perfil dos clientes;
  • Perfil da loja (butique, magazine, etc).

Lembre-se sempre que os registros são para te ajudar e se você for organizado isso não vai consumir muito do seu tempo. O investimento em um processo organizado vai sempre se pagar no futuro e pode ser seu maior diferencial.

No Comments

Post A Comment