Inside the Box | SUAS VENDAS VÃO MELHORAR EM 2019
TEste
471
post-template-default,single,single-post,postid-471,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-17.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

SUAS VENDAS VÃO MELHORAR EM 2019

Saímos cedo da copa, as fake news foram a base das eleições e motivo para meme bom não faltou esse ano. Se as projeções não eram boas, apesar de tudo, temos boas novas. 2018 foi o início de uma guinada para o crescimento.

No varejo de moda, um terceiro trimestre positivo traça um cenário de melhora em relação a 2017 e já traz de bons ventos para 2019. O crescimento da receita nos 9 primeiros meses foi de 4,1%, superando a previsão de 3,1%.

Para dar alguns argumentos de vendas (e já deixar a empolgação pronta pra virada de ano) preparamos um resumo rápido com alguns dados que mostram porque você vai vender mais em 2019!

Big players puxam o resultado

Os resultados que mostram a retomada de crescimento no varejo brasileiro, são especialmente otimistas para o setor da moda. Apesar do crescimento acumulado de 2,3% do varejo no ano, são somente dois os setores que cresceram até agora: moda e móveis e eletrodomésticos.

O crescimento que já abrange muitas empresas no mercado é especialmente chamativo nos grandes players. A Renner segue forte e se posiciona cada vez mais como a marca brasileira que mais vende, com um crescimento acumulado de 8,5% nas vendas. Com 512 lojas (entre Renner, Camicado e YouCom), A gigante mostrou confiança no mercado e reafirmou o ousado plano de expansão prevendo fechar o ano com a abertura de 70 lojas e R$30 milhões investidos.

Outro player grande e conhecido, a Riachuelo também teve crescimento no período acumulado de 5% nas mesmas lojas. Na receita líquida o crescimento foi de mais de 30%. A rede abriu 5 lojas no período, e fecha o ano com 304.

A mensagem é clara no mercado: otimismo. O investimento somado ao aumento do faturamento mostra que o varejo de moda está aquecido e temos saída das peças.

B2B começa a reagir

O mercado multimarcas tende a sentir os efeitos da economia de maneira mais devagar. Enquanto no varejo direto a indústria e vendedores sentem instantaneamente, o multimarcas possui o lojista como intermediário, deixando essa equação mais complexa.

Para entender melhor os números do mercado multimarcas, analisamos os resultados de três indústrias que estão entre os 5 maiores faturamentos de multimarcas do Brasil: Restoque S/A, ArezzoCo e Inbrands.

  • Restoque S/A: Na gigante do varejo e líder do setor do mercado brasileiro, o crescimento discreto de 0,6% poderia passar despercebido não fosse o momento de mercado. O canal B2B que representa 28% do faturamento total, segue sendo de grande importância estratégica e já demonstra sinais de fim de crise.
  • ArezzoCo: Outra gigante e líder, a ArezzoCo apresentou crescimento de 11,8% no acumulado das receitas totais. No canal multimarcas que é responsável por 24,7% da receita do grupo o crescimento foi de 11,7%, ficando a frente do varejo direto.
  • Inbrands: Outra gigante do multimarcas parece estar se reerguendo de uma grande reestruturação. Com uma receita acumulada de 649 milhões de reais, a Inbrands chega a um crescimento de 13,5% perante o ano anterior e mostra claros sinais de crescimento.

Se você está no mercado e seus resultados não estão nos patamares das empresas acima, tudo bem. De fato, os número o otimismo que já é mais notório no B2C ainda não é tão claro no multimarcas. Precisamos, contudo, entender os sinais que o mercado já está passando e usar isso a nosso favor.

Se em 2014 o varejo direto começou a sentir os efeitos da crise antes do multimarcas, agora está acontecendo o contrário. O mercado já está girando melhor e os resultados estão no faturamento e abertura de lojas. Tudo segue para que 2019 seja um excelente ano para o varejo de moda B2B e B2C e as vendas voltem a crescer e encontrar anos de prosperidade.

Acredite, no ano que vem você vai vender mais!

No Comments

Post A Comment